Cantando Junto

Bem, quarta feira às onze horas da noite,  retornando para a minha casa do curso que estou fazendo, entro na Luz num metrô praticamente vazio sentindo Santana.

Sento num banco de costas para a janela, de frente para outro banco reservado a idosos; vejo um homem mais velho, de bermuda e camiseta, uma mochila nas costas, um colar de miçangas vermelho, papete nos pés e  um olhar atrás dos óculos diferente, com uma das pálpebras caídas. E ele me observava.

Nessa hora eu pressenti que ele sentiu algo em mim, ia vir conversar comigo.

Dito e feito. Em milésimos de segundo ele se encontrava do meu lado esquerdo, de pé e dirige a palavra à mim: moça, posso cantar uma música para você?

Na hora o meu coração fica apertadinho, eu olho em volta: algumas pessoas tinham percebido o movimento estranho do homem, mas não se pronunciam.

Eu digo a ele: Senhor, não faça isso.

Ele: Não é nada demais, eu gosto de cantar!

Eu: O Senhor fique a vontade para fazer o que quiser.

E ai, ele começa a cantar com uma voz de baritono, em alto e bom som a música

A Casinha Pequenina, na hora que ele começa a cantar, lembro da minha mãe com os seus primeiros cds e  agente cantando pela casa! Quando lançou o CD, ela comprou um aparelho que tocava 5 cds!!

http://letras.mus.br/silvio-caldas/656615/

A Casinha Pequenina

Silvio Caldas

Tu não te lembras da casinha pequenina
Onde o nosso amor nasceu, ai ?
Tu não te lembras da casinha pequenina
Onde o nosso amor nasceu ?
Tinha um coqueiro do lado {
Que coitado de saudade {bis.
Já morreu. {
Tu não te lembras das juras, oh, perjura,
Que fizeste com fervor, ai ?
Tu não te lembras das juras, oh perjura,
Que fizeste com fervor ?
Daquele beijo demorado {
Prolongado que selou {bis
O nosso amor. {
Não te lembras, ó morena, da pequena
Casinha onde te vi, ai ?
Não te lembras, ó morena, da pequena
Casinha onde te vi ?
Daquela enorme mangueira {
Altaneira onde cantava {bis
O bem-te-vi. {
Não te lembras do cantar, do trinar
Do mimoso rouxinol, ai ?
Não te lembras do cantar, do trinar
Do mimoso rouxinol ?
Que contente assim cantava {
Anunciava o nascer {bis
Do flâmeo sol. {

No meio da música ele se perde… tenta lembrar várias vezes. Mas resolve recorrer à ajuda, abre a mochila e saca um caderninho em espiral de letras.

Nesse momento olha novamente em volta, um moço vai saltar na estação; olha para mim dá um sorriso e vai embora.

Nessa hora começo a refletir, porque eu estou me sentindo tão constrangida?

É só um senhor cantando músicas!

Procurando a letra da música em questão, ele acha outra. Carinhoso. http://letras.mus.br/pixinguinha/358582/

Carinhoso

Pixinguinha

Meu coração, não sei por quê
Bate feliz quando te vê
E os meus olhos ficam sorrindo
E pelas ruas vão te seguindo
Mas mesmo assim foges de mim

Ah, se tu soubesses
Como sou tão carinhoso
E o muito, muito que te quero
E como é sincero o meu amor
Eu sei que tu não fugirias mais de mim

Vem, vem, vem, vem
Vem sentir o calor dos lábios meus
À procura dos teus
Vem matar essa paixão
Que me devora o coração
E só assim então serei feliz
Bem feliz

Pô, nessa música não tinha como não cantar junto.

Comecei timidamente a acompanhá-lo!

Acredito que vendo a minha empolgação, ele acha outra música: Felicidade.

http://letras.mus.br/caetano-veloso/44724/

Felicidade

Caetano Veloso

Felicidade foi se embora
E a saudade no meu peito ainda mora
E é por isso que eu gosto lá de fora
Porque sei que a falsidade não vigora

A minha casa fica lá de traz do mundo
Onde eu vou em um segundo quando começo a cantar
O pensamento parece uma coisa à toa
mas como é que a gente voa quando começa a pensar

(2 X)
Felicidade foi se embora
E a saudade no meu peito ainda mora
E é por isso que eu gosto lá de fora
Porque sei que a falsidade não vigora

Na minha casa tem um cavalo tordilho
que é irmão do que é filho daquele que o Juca tem
E quando pego meu cavalo e encilho
Sou pior que limpa trilho e corro na frente do trem

Ai, eu já me vi cantando junto, em alto em bom som; com refrão empolgadíssima e desafinada.

Acabou a música, chegou a nossa estação.

Saímos, ele agradeceu a minha gentileza de deixá-lo cantar.

E eu o agradeci por fazer da minha volta pra casa mais leve e feliz.

Sai de lá com um sorriso no rosto, com uma sensação que a muito tempo não sentia. Fui eu mesma.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s